Lei que torna visão monocular como deficiência é alvo de críticas

Há pouco mais de um ano, a visão monocular foi reconhecida como deficiência visual. No entanto, a lei tem recebido muitas críticas. Isso ocorre porque ela não respeita as peculiaridades de cada indivíduo, uma vez que classificou a visão monocular (enxergar de apenas um olho) como uma deficiência de grau leve.

Vamos explicar melhor: algumas pessoas têm uma perda leve da visão de um olho, outras tem perda total. A pessoa com perda leve consegue fazer atividades laborais que uma de perda total não consegue. Assim, a lei coloca todos na mesma condição, quando na realidade não estão nas mesmas condições e, por vezes, em condições muito adversas.

E na prática, no que isso prejudica?

Como a visão monocular é considerada uma doença que permite a Aposentadoria da Pessoa com Deficiência por Tempo de Contribuição, o grau dessa doença interfere no tempo de aposentadoria.

Confira como funciona

Tempo de contribuição para Aposentadoria da Pessoa com Deficiência, de acordo com o grau

Leve: 33 anos de contribuição (homem) ou 28 anos de contribuição (mulher)
Moderado: 29 anos de contribuição (homem) ou 24 anos de contribuição (mulher)
Grave: 25 anos de contribuição (homem) ou 20 anos (mulher)

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *